Gondomar mostra ponta do icebergue

18 de Fevereiro de 2007

O grande icebergue da especulaçom e corrupçom urbanística que envolve empreiteiros, construtoras e políticos começa a mostrar a mínima parte que fica à vista na superfície do mar do urbanismo galego. Os dous vereadores do PP em Gondomar (comarca de Vigo) acusados de cobrarem comissons de empresas para favorecer os seus interesses na instituiçom municipal som só a mínima parte visível dessa ponta que nesta semana ficou ao léu.

Carlos Silva, presidente da Cámara Municipal de Gondomar, apoiou até ontem mesmo os dous corruptos companheiros de Governo municipal

O Partido Popular, que tentou proteger os seus nos inícios do escándalo, rectificou e acabou por sacrificar duas peças de baixo perfil no partido, umha delas inclusive "independente" nas listas "populares" de Gondomar. O presidente da Cámara desse concelho polo PP, Carlos Silva, mantivo a sua cobertura aos corruptos descobertos até ontem mesmo, quando véu a pedir-lhes a renúncia aos postos à frente das áreas do Urbanismo e a Cultura.

Em liberdade à espera de julgamento, o delito de que som acusados Alejandro Gómez Garrido (vereador do Urbanismo) e José Luis Mosquera (vereador da Cultura) é o de suborno de um funcionário público, junto a um arquitecto e a umha quarta pessoa também relacionada com o caso.

Tendo sido decretado o segredo de justiça, desconhecem-se os pormenores, mas alguns meios divulgárom a existência de gravaçons de áudio em que um dos argüidos negociava a cobrança de umha comissom ilegal, "clássico" mecanismo para a posta dos políticos ao serviço das construtoras no planeamento urbanístico.

A caótica e arbitrária configuraçom urbanística da Galiza parte já, no mínimo, das décadas de 60 e 70, mas nos últimos anos acelerárom-se as agressons, reflectidas na aprovaçom de Planos Gerais de Ordenaçom aberrantes e claramente virados para a especulaçom e o lucro privado das grandes empresas que financiam os principais grupos políticos.

O caso de Vigo é talvez o mais escandaloso, por se tratar da maior urbe da Galiza. Mas casos como o de Gondomar, Cangas, Nigrám, Ferrol e tantos outros na faixa costeira da nossa naçom certificam a dimensom do icebergue da corrupçom e a especulaçom urbanísticas.

 

 

Voltar à página principal