Ministro sérvio lembra ao homólogo espanhol a natureza imperialista comum aos dous estados

27 de Fevereiro de 2007

A possibilidade apontada pola ONU, de que a Kosova poda vir a se independizar da Sérvia num futuro mais o menos breve, provocou umha reacçom do ministro dos Negócios Estrangeiros desse país contra o seu homólogo espanhol, Miguel A. Moratinos. Ambos participavam numha conferência de imprensa conjunta, quando Vuk Draskovic sentenciou que a Sérvia "sempre apoiará umha só Espanha: a actual", pedindo que os espanhóis apoiem também a unidade indivisível da actual Sérvia.

Por seu turno, Moratinos declarou a seguir que "nom sabemos qual será o mapa final dos Balcáns", mas, com ares de pitoniso, mostrou a sua convicçom de que "o mapa espanhol é e será o actual".

Foi nessa altura que o ministro sérvio resolveu lembrar ao espanhol que ambos estados tenhem idênticos interesses, e que a emancipaçom da Kosova seria um "precedente" que facilitaria a secessom de outras naçons sem Estado europeias, referindo que no caso espanhol poderiam ser "no mínimo, três".

A Sérvia perdeu já o controlo de várias naçons nos últimos quinze anos, a última Montenegro, independizada mediante um referendo de autodeterminaçom reconhecido pola Uniom Europeia no passado ano. Na actualidade, a Kosova, naçom dependente da Sérvia com maioria étnica albanesa, é administrada pola ONU, enquanto se decide umha saída para o cruento conflito armado dos anos noventa nesse território.

 

Voltar à página principal