A Junta da Galiza aprova destruiçom do Círculo Lítico da Mourela, nas Pontes

6 de Junho de 2007

Finalmente, a infame destruiçom de um valioso jazigo arqueológico megalítico inédito na Galiza está a ser perpetrado, com o visto dos relatórios técnicos realizados pola Direcçom Geral do Património, adscrita à Conselharia da Cultura da Junta da Galiza.

Ontem, dia 5 de Junho, coincidindo com o Dia do Meio Ambiente, o Círculo Lítico da Mourela foi arrasado polas máquinas da Conselharia da Política Territorial (em maos do PSOE) que constroem a autovia que unirá Ferrol com Vilalva, graças ao apoio dos informes de Património, por seu turno em maos do Bloque Nacionalista Galego (BNG).

A entidade pontesa que nos últimos anos tem luitado pola conservaçom dos restos da necrópole pré-histórica denunciou a falta de vontade institucional para modificar o traçado da estrada e evitar assim a perda de uns restos de grande valor patrimonial. A Plataforma na Defesa do Património das Pontes, apoiada pola ADEGA, apresentou alternativas para essa infraestruturas e exigiu repetidamente o cumprimento da Lei do Patrimínio Cultural Galego, que exige o estudo de cada posssibilidade alternativa antes de destruir qualquer resto patrimonial.

No entanto, a Conselharia que preside Ángela Bugalho, acabou por permitir a continuaçom das obras, o que aconteceu ontem mesmo. Porém, trata-se de um processo de destruiçom que nom é novo. O círculo lítico, sem paralelo na Galiza, começou a ser agredido com a retirada incontrolada de pedras que formavam o monumento megalítico e depois com a construçom de um depósito de água e umha zona industrial na mesma área.

Os técnicos arqueólogos reclamavam a recuperaçom da necrópole, começando polo respeito dos restos líticos que ainda tinha, e continuando pola recuperaçom e reconstruçom integral da zona, com base na investigaçom que estava a ser feita e nos testemunhos gráficos existentes.

Em lugar disso, a Junta da Galiza optou por um novo atentado patrimonial. Mais um.

Além da Plataforma e ADEGA, também NÓS-Unidade Popular emitiu um comunicado de condena contra a Conselharia da Cultura pola gravíssima destruiçom de umha relevante representaçom do patrimónion nacional galego. Porém, pode ser tarde demais para que a Necrópole da Mourela seja poupada às máquinas...

Podes ver aqui um interessante vídeo em que o arqueólogo Filipe Seném explica o valor do Círculo Lítico e as possibilidades de restauraçom como alternativa às ameaças de destruiçom, que parecem ter-se imposto finalmente.

 

Voltar à página principal