Galiza mantém-se entre as naçons mais empobrecidas da Uniom Europeia

20 de Fevereiro de 2007

Segundo dados oficiais do Eurostat referidos ao ano 2004, a Galiza fica em 81% da média do Produto Interno Bruto (PIB) das eurorregions incluídas no espaço da Uniom Europeia. Dentre as comunidades autónomas do Estado espanhol, apenas a Estremadura, Castela-A Mancha e Andaluzia ficam abaixo da Galiza.

No grupo de eurorregions com maior capacidade de compra dos seus e as suas habitantes, situam-se oito regions alemás, oito británicas, sete italianas, cinco dos Países Baixos, quatro austríacas, três da Bélgica, duas finlandesas e umha da Chéquia, Irlanda, França, Eslováquia, Suécia e Luxemburgo. Também três eurorregions do Estado espanhol se situam no topo do PIB europeu: Madrid, Navarra e Comunidade Autónoma Basca.

A Comunidade Autónoma da Galiza, polo contrário, enquadra-se entre as eurorregions que nom atingem a média. Ainda por baixo da Galiza, situam-se zonas da Bulgária, Polónia e Roménia.

Galiza perdeu posiçons no Estado e na UE

Um recente estudo da Confederaçom Intersindical Galega (CIG) confirmou as tendências agora apontadas polo Eurostat, concluindo umha progressiva perda de peso do PIB galego no ámbito do Estado espanhol e da Uniom Europeia.

Assim, enquanto o empresariado viu crescer a sua taxa de ganho entre os anos 2000 e 2004, a populaçom assalariada galega perdeu renda entre esses mesmos anos, como o demonstra o facto de corresponder-lhe 48,5% da renda produzida em 2000, passando para 48,1% em 2003. Nos mesmos anos, aumentou o peso da populaçom assalariada galega em 7,8 pontos, mas repartírom-se 4 décimas menos de PIB. Entretanto, um mesmo número de empresários repartírom-se 6 décimas mais de renda.

Quanto à evoluçom dos salários, o crescimento dá-se nos cargos directivos, mas nom no grosso do pessoal assalariado, condenado a condiçons laborais e salariais de extrema precariedade.

Tal como a CIG indica no seu estudo, estes dados correspondem com um paradoxal incremento da produtividade, o que indica que as desigualdades sociais estám em aumento e a Galiza no seu conjunto nom converge, em termos socioeconómicos, com as médias do Estado e a UE. E todo isso apesar de a Galiza estar catalogada como “Regiom Objectivo I”, que a converte em receptora de importantes ajudas económicas das instituiçons europeias.

 

Voltar à página principal