Denunciam agressivo projecto piscícola numha área protegida de Trasancos

15 de Janeiro de 2006

A "moda" das plantas aqüícolas continua a alastrar polo litoral galego, pondo em risco áreas protegidas polo seu interesse natural e paisagístico. O penúltimo projecto desse tipo foi anunciado pola Junta da Galiza e o Governo municipal de Ferrol, em maos do PP.

Trata-se, segundo a empresa promotora, "Isidro da Cal", de umha macroplanta para a produçom de rodobalho que, com o álibi da suposta criaçom de 60 postos de trabalho, pretende causar um dano irreparável numha zona privilegiada da costa trasanquesa, umha das mais bem conservadas da Galiza.

Entidades naturalistas como a Sociedade Galega de História Natural e políticas como NÓS-Unidade Popular posicionárom-se publicamente contra a possível localizaçom da planta no lugar de Ponços (paróquia de Covas), no concelho de Ferrol, nuns terreios protegidos pola sua integraçom na Rede Natura 2000.

Vista da área protegida ferrolana, ameaçada pola construçom de umha macroplanta piscícola

 

O projecto, defendido por Juan Juncal, presidente da Cámara municipal de Ferrol polo PP, e pola Conselharia das Pescas da Junta da Galiza, tem umha extensom prevista de 390.000 m2, e danaria gravemente umha zona húmida de grande valor ambiental e paisagístico, até hoje escassamente povoada e urbanizada.

A localizaçom de piscifactorias em pontos protegidos do litoral galego é umha constante encetada polos governos do PP, que o bipartido está a tolerar parcialmente, pois ao rejeitamento da agressom de Pescanova no cabo Tourinhám confrontam-se outros exemplos como este, que podem vir a engrossar a listagem de agressons à costa da Galiza, favorecendo o lucro de alguns empresários e contribuindo para a destruiçom do meio natural do País.

De facto, nos últimos meses soubemos que só 11 das 25 plantas em funcionamento no nosso litoral tenhem licenças em regra para realizarem os despejos industriais associados à actividade piscícola, em nengum caso inócuas apesar da propaganda empresarial e institucional.

 

Voltar à página principal