PP impom que Porto Marim continue a dedicar a sua rua principal ao "General Franco"

O PP nom perde ocasiom de demonstrar qual é a sua verdadeira identidade política: o franquismo

20 de Março de 2007

O Partido Popular volta a retratar-se como o que é: herdeiro directo do franquismo e continuador natural do fascismo. Temos um novo exemplo significativo em Porto Marim, onde o presidente da Cámara polo PP, Eloy Rodrigues, defende contra vento e maré que o nome da principal rua do concelho continue a levar o nome do assassino Francisco Franco.

Segundo o dirigente do PP em Porto Marim, quando ele chegou ao cargo (há 30 anos) a rua já era dedicada ao ditador, o que justificaria que continue a sê-lo de maneira indefinida. Além disso, Eloy Rodrigues considera que "Franco o merece" porque "fijo muito por Porto Marim", vila da comarca de Lugo sempre governada pola direita espanhola desde o golpe de estado de 1936.

Além do reconhecimento explícito à figura do golpista Francisco Franco, Eloy Rodrigues considera que a mudança de nome, proposta pola oposiçom municipal, originaria muitos problemas administrativos e sairia cara à vizinhança.

Se alguém pudesse pensar que se tratava de umha posiçom individual desse elemento do PP, a votaçom da proposta de mudança de nome no pleno esclarece qualquer dúvida: o grupo governante do PP ao completo votou contra a iniciativa e pola manutençom do nome do ditador como principal referência do nomenclátor da vila luguesa.

Infelizmente, o PP nom é a única força política empenhada em manter a simbologia fascista nos espaços públicos da Galiza: também concelhos governados polo PSOE, polo BNG e por IU mantenhem importantes monumentos e outros ícones da ditadura franquista e, de facto, quem ousar retirá-los corre o risco de ser denunciado por qualquer desses partidos.

 

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Quatro militantes de NÓS-UP serám julgados por pintarem de cor de rosa umha Cruz fascista em Neda (+...)

 

Voltar à página principal