Compostela: centenas de pessoas manifestárom-se contra a rua Fraga

29 de Novembro de 2006

A compostelana praça do Toural acolheu onte a mobilizaçom convocada pola Plataforma Rua Fraga Nom. Pouco depois das 20.30 horas, perto de trescentas pessoas manifestárom a oposiçom de boa parte da populaçom da cidade a que o Governo municipal de José Sanches Bugalho dê a umha rua da capital da Galiza o nome do ex-presidente da Junta, ex-minsitro franquista e actual senador do PP.

"Rua Fraga, nom, nom, nom", "Nós temos memória, Bugalho nom" ou "Fraga, escuita, a rua nom é tua", “Fascismo fora da Galiza”, fôrom algumhas das palavras de ordem que se empregárom na aproximadamente meia hora de duraçom do protesto. NÓS-UP e BRIGA participárom com faixa própria e fôrom distribuídos várias centenas de exemplares do vozeiro municipal O Pedroso.

Em relaçom com as reivindicaçons, o Presidente da Cámara compostelana ainda nom respondeu à solicitude de entrevista realizada pola Plataforma há mais de um mês.

A composiçom da Plataforma agrupa boa parte do tecido associativo e do movimento popular de Compostela, contrariamente às intençons iniciais do autonimismo em deixar fora a esquerda independentista. Porém, ontem no Toural o autonomismo voltou a mostrar o seu verdadeiro interesse eleitoralista nesta reivindicaçom. Contrariamente ao acordado, nom se saiu em manifestaçom polas principais ruas do centro da zona velha, evitando que o protesto superasse os limites do Toural.

Nova detençom em Compostela

Na noitinha de ontem registou-se umha nova acçom repressiva na capital galega, com a detençom do jovem independentista Paulo Martearena, "acusado" de danos por colar cartazes de conteúdo político nas ruas compostelanas. Estamos, ao que todo indica, diante de um novo episódio da Compostela policial sobre a qual as forças governantes no concelho tenhem umha importante quota de responsabilidade.

Primeira Linha quer reclamar a liberdade para o jovem e que cessem as práticas repressivas contra a actividades política em Compostela e na Galiza toda.

 

Voltar à página principal