Patronato recusa-se a aplicar acordos de contrataçom no metal

Aspecto da mesa de negociaçom entre empresários e representantes sindicais, ontem em Vigo

10 de Janeiro de 2006

Os trabalhadores e trabalhadoras do metal do sul da Galiza voltam a estar na rua para exigirem ao patronato o cumprimento dos acordos sobre contrataçom incluídos no convénio do sector. Millhares de operários e operárias das grandes factorias (Barrera, Freire, Cardama e Armon, junto a Vulcano) saírom às ruas viguesas em protesto polo despedimento arbitrário de cinco companheiros, contradizendo os compromissos quanto a colocaçom e a superaçom das precárias condiçons laborais no sector.

Os acordos adquiridos e agora incumpridos polo patronato fôrom o resultado da dura greve mantida no passado mês de Maio, concluída de maneira precipitada em opiniom de alguns sectores operários, quando o patronato estava encurralado pola luita em massa de milhares de proletários e proletárias do sul da Galiza.

Desde aquela altura, diversos incidentes provocados polos patrons ponhem em questom os acordos assinados, obrigando a retomar mobilizaçom em defesa de questons teoricamente já assumidas polos empresários do sector.

O bota-fora de um barco no próximo sábado no estaleiro viguês de Freire está em causa em funçom dos passos que os patrons dem na mesa de negociaçom aberta com as representaçons sindicais, enquanto os trabalhadores e trabalhadoras demonstram mais umha vez a sua disposiçom à luita conjunta em defesa de condiçons de trabalho dignas. Umha recusa em massa à realizaçom de horas extraordinárias e a convocatória de greve no sector seriam os seguintes passos a seguir se persistirem os incumprimentos e a negativa ao acordo por parte do patronato.

 

 

Voltar à página principal