Boa resposta popular à proposta soberanista unitária

27 de Julho de 2007

Mais umha vez, ficou demonstrado que na Galiza existem condiçons objectivas para construir um sólido movimento pola independência alicerçado em princípios anticapitalistas. Como cada vez que na última década tenhem sido convocadas manifestaçons e campanhas unitárias da esquerda soberanista, este Dia da Pátria confirmou a boa resposta dos sectores sociais interessados numha alternativa ao autonomismo centrista do BNG.

Causa Galiza conseguiu reunir quase 1.400 pessoas atrás de umha faixa única em que se reclamava com absoluta claridade "autodeterminaçom". Umha resposta importante que, sem dúvida, ultrapassa a soma das bases particulares de cada umha das organizaçons políticas que apoiamos a convocatória deste Dia da Pátria, e que dever fazer-nos reflectir a todas sobre o avanço, sem pressas mas com compromisso real, para um novo cenário que dê resposta à necessidade de que a Galiza afirme em todos os ámbitos o seu direito a existir como povo livre.

Crónica do Dia da Pátria e do seu preámbulo

Como é já costumeiro, o Dia da Pátria voltou a começar na tarde e noite anteriores, quando a juventude independentista organizou diferentes eventos em relaçom com a data patriótica. Assim, BRIGA convocava a III Jornada de Rebeliom Juvenil, que incluiu actividades lúdicas e reivindicativas, como a elaboraçom colectiva de murais e um intenso trabalho de agitaçom por toda a cidade.

Um militante da organizaçom juvenil foi detido a primeiras horas da tarde por polícias espanhóis à paisana, e conduzido à esquadra, onde permaneceu durante várias horas até ficar em liberdade na tardinha.

Mais tarde, trascendeu um ataque anónimo contra umha sucursal de Caixa Nova na capital, acompanhado de barricadas em torno do lugar, entre outras actividades de luita urbana em resposta à abafante presença policial espanhola durante as últimas semanas em Compostela. Quase em simultáneo, umha marcha convocada pola AMI na parte velha da cidade era violentamente rebentada polas forças policiais espanholas, com resultado de numerosas pessoas feridas, incluídos ossos partidos e hematomas de consideraçom.

O concerto organizado por BRIGA a partir das 11 da noite denunciou os acontecimentos repressivos do dia, encorajando a juventude trabalhadora a continuar a luita e a autoorganizar-se em defesa dos direitos da Galiza e das suas classes populares.

Foi um concerto multitudinário no parque de Belbis, com boa música ao vivo e milhares de jovens a corear mensagens de luita. No ponto álgido da noite, umha bandeira espanhola de grandes dimensons era despregada de um muro lateral, ardendo a continuaçom e deixando o lugar ao despregamento de umha grande bandeira da Pátria no mesmo lugar.

Representantes de BRIGA chamárom a participar na manifestaçom autodeterminista do 25 de Julho.

A causa da Galiza toma as ruas de Compostela

Passadas as 13 horas, as pessoas que seguravam a faixa de cabeça começárom a marcha polas ruas da capital da Galiza respondendo à convocatória da Causa Galiza, entre palavras de ordem soberanistas e um espírito optimista pola que era umha das maiores manifestaçons autodeterministas da última década. "Estatutos nom, autodeterminaçom", "que queiram, que nom, Galiza é umha naçom", "independência"... um numeroso e visível bloco comunista completou, junto às bandeiras da Pátria, a colorida coluna soberanista que concluiu a manifestaçom na praça do Toural.

Ali, Bráulio Amaro e Charo Lopes dirigírom-se às pessoas congregadas denunciando o fraudulento processo de reformas estatutárias e reafirmando a necessidade de socializar a reivindicaçom do direito de autodeterminaçom. Fôrom comunicadas também as saudaçons da Política Operária (Portugal), Batasuna (Euskal Herria), MDT e Endavant (Países Cataláns).

Há que destacar que, ao contrário do sucedido com motivo da apresentaçom pública de Causa Galiza, quase todos meios de comunicaçom, com poucas excepçons, silenciárom por completo a existência de umha manifestaçom soberanista neste Dia da Pátria de 2007. Quase todos se limitárom a comentar os actos desenvolvidos polo PSOE e o BNG, desprezando a maior mobilizaçom soberanista dos últimos anos.

A partir da evidência de que a base social da esquerda independentista quer unidade, resta agora comprovarmos até onde conseguimos, entre todos e todas, conduzir esta nova proposta de trabalho conjunto pola soberania nacional e o socialismo.

Apresentamos a seguir umha galeria de imagens da jornada patriótica do nosso 25 de Julho. Para veres as imagens aumentadas, é só clicares em cima delas:

     
 
     

:: Mais informaçons sobre o mesmo tema

Dia da Pátria: Apoiemos os actos da esquerda soberanista (+...)

 

Voltar à página principal