NÓS-UP apoia reivindicaçons feministas sobre direitos reprodutivos

22 de Janeiro de 2008

NÓS-Unidade Popular aderiu às numerosas manifestaçons públicas contrárias à repressom contra os direitos reprodutivos das mulheres, apoiando as convocatórias da Marcha Mundial das Mulheres nesta quarta-feira em cinco cidades galegas.

Quando os sectores mais reaccionários convocam concrentraçons em favor da família cristá, a Guarda Civil intimidava 25 mulheres por meio de citaçons judiciais por terem feito uso da interrupçom voluntária da gravidez, enquanto as clínicas onde se realizam essas práticas recebiam ataques.

NÓS-UP solidarizou-se com as mulheres perseguidas e apontou para o integrismo católico e para as responsabilidades institucionais na hora de explicar o acontecido nas últimas semanas. A alternativa para superar as provocaçons reaccionárias passa pola reforma da lei vigorante desde 1985, que ainda considera delito em numerosos casos a interrupçom voluntária da gravidez.

A formaçom independentista reclama um maior fomento da educaçom afectivo-sexual, a eliminaçom da 'objecçom de consciência' na rede sanitária pública, a extensom do aborto como direito para a mulher, na sanidade pública, o incremento da rede de Centros de Orientaçom Sexual e a garantia de acesso das jovens e os jovens aos meios anticoncepcionais, entre outras medidas urgentes.

NÓS-Unidade Popular apoia as concentraçons que convoca a Marcha Mundial das Mulheres nesta quarta-feira em várias cidades do nosso país (Vigo, Corunha, compostela, Ferrol e Ponte Vedra).

 

Voltar à página principal