Milhares de trabalhadores e trabalhadoras tomam Vigo para exigir medidas contra a sinistralidade laboral

1 de Agosto de 2007

Milhares de obreiros e obreiras do naval viguês saírom às ruas em resposta a umha nova morte em acidente laboral de um companheiro, um jovem trabalhador de 19 anos que faleceu pola descarga eléctrica recebida quando trabalhava para Talleres Ruiz e Moreira, umha firma de reparaçons navais localizada em Bouças.

Representantes sindicais entrevistárom-se com o delegado provincial de Trabalho, Pedro Borrajo, e exigírom-lhe medidas concretas e o fim das pressons que os quadros de pessoais recebem do patronato para cumprir "ritmos de trabalho enormes".

Apesar das palavras dos políticos e do recurso ao fatalismo como única explicaçom para as contínuas mortes no posto de trabalho na Galiza, o certo é que os acordos concretos nom som efectivados e as empresas continuam sem cumprir as normas de prevençom e a pôr a produtividade e o lucro por cima da segurança do pessoal, sem que a dinámica de incompetência institucional e resignaçom sindical permitam enxergar mudanças.

 

Voltar à página principal