Estudantado universitário nom se resigna: mobilizaçom contra privatizaçom

16 de Novembro de 2007

A actividade estudantil contra a ofensiva privatizadora e a entrada das empresas ao mercadeio também no ámbito do ensino vai in crescendo desde que começou o actual ano lectivo. Umha Assembleia Geral estudantil congrega semanalmente numeroso alunado na Universidade de Compostela, servindo para discutir e organizar a resposta a partir da base aos planos do neoliberalismo espanhol.

Os protestos contra essa política estám ouvindo-se em actos oficiais da referida universidade. Na semana passada, foi nos fastos polo 50 aniversário da Faculdade de Trabalho Social, semiprivatizada. Ontem foi umha concentraçom na Faculdade de Económicas e Empresariais, onde decorria o I Forum de Emprego da USC, um evento que permite às empresas entrar no recinto universitário para 'vender' as excelências da estratégia neoliberal, filha da nova doutrina europeia contra o serviços públicos.

Em concreto, o vice-reitor da área de "Comunidade Universitária e Compromiso Social" da USC, José Manuel Mayán Santos, tentou desacreditar o colectivo de estudantes, justificando a entrada de empresários em termos 'filolóficos': "onde vam trabalhar os nossos graduados? É óbvio que nas empresas. Daí neste tipo de encontros pretendermos aproximar as empresas do mundo universitário". Belo eufemismo esse de "aproximar as empresas", quando elas estám a tomar conta dos organismos de gestom, dos serviços públicos e dos critérios de admissom nos centros universitários.

Assim, no referido Forum de Emprego participam, além das conselharias de Trabalho e de Educaçom e Ordenaçom Universitária da Junta da Galiza, o Conselho Social da USC, a Cámara Municipal de Santiago e entidades financeiras e multinacionais como Caixa Galicia, RepsolYPF ou Accenture.

Como parte do movimento assemblear de estudantes em defesa do ensino público, galego e popular, a entidade independentista AGIR valorizou esta nova vaga mobilizadora de maneira positiva, para combater a 'vergonhosa mercantilizaçom dos espaços universitários'.

Toda a informaçom sobre este novo protesto estudantil no web da entidade estudantil da esquerda independentista. A versom pró-empresas, pró-reitoria e pró-privatizaçons do acontecido ontem em Compostela, insultos incluídos, no jornal direitista El Correo Gallego.

 

Voltar à página principal