Iniciativa solidária com Euskal Herria

6 de Outubro de 2007

Um blogue que recolhe assinaturas para mostrar o rejeitamento dos galegos e as galegas às políticas repressivas espanholas foi activado poucas horas depois da detençom de mais de vinte responsáveis políticos da esquerda abertzale basca.

A seguir, reproduzimos o texto do abaixo-assinado proposto, encorajando os nossos leitores e leitoras a aderirem, mediante o envio de um correio electrónico, à lista de rechaço à repressom do Estado espanhol contra o independentismo basco:

Manifesto de solidaridade com Euskal Herria

Stop à repressom. Liberdade para tod@s @s detid@s

Solidariedade com Euskal Herria

1- A detençom de dúzias de líderes e responsáveis políticos da esquerda abertzale realizada polo Estado espanhol é umha declaraçom de guerra contra qualquer soluçom política a um conflito de índole política.

2- Sem o reconhecimento do exercício do direito de autodeterminaçom nom é possível, nem viável, atingir um novo cenário político em Euskal Herria. Negando-se a reconhecer a vontade do povo basco como único sujeito soberano para escolher livremente o seu futuro colectivo como Naçom o governo de Zapatero aposta na perpetuaçom do conflito.

3- Todo o que está a acontecer estava prognosticado e publicado por diversos meios de comunicaçom. Fai parte de umha estratégia inalterável no tempo, seguida polos diferentes governos espanhóis que desde a Transiçom ocupárom o Palácio da Moncloa. Porém, a repressom policial e judicial nom é o caminho nem a soluçom.

4- A meio ano das eleiçons às Cortes Espanholas, o PSOE, seguindo umha lógica eleitoralista, aposta ainda mais no endurecimento do seu discurso centralista e negador dos direitos colectivos dos povos, para competir com o discurso filo-fascista do PP de Acebes, Zaplana, Aznar e Rajói.

5- @s abaixo assinantes, galegas e galegos comprometid@s com as liberdades democráticas, condenamos energicamente esta vaga repressiva e solicitamos publicamente a liberdade de tod@s @s detid@s e a garantia de respeito para a os seus direitos e integridade física.

Galiza, 5 de Outubro de 2007

 

Voltar à página principal