A CIG denuncia violaçom de direitos e falta de separaçom de poderes pola detençom de dirigentes abertzales bascos

28 de Outubro de 2007

A Executiva Confederal da CIG emitiu um comunicado de resposta à detençom de dirigentes da esquerda abertzale basca, sublinhando que "suponhem umha flagrante vulneraçom dos direitos fundamentais individuais e colectivos".

A CIG considera que com esse tipo de atitudes, o Estado espanhol vê questionado a separaçom de poderes e a mesma existência do que chamam "Estado de direito", pola privaçom arbitrária de direitos fundamentais como o de reuniom ou o de associaçom, além do de livre expressom das ideias

A falta de independência do poder judicial espanhol fica, para a CIG, em evidência polas motivaçons políticas das detençons, clara resposta ao anúncio da ETA de pôr fim ao cessar-fogo como resultado do fracasso do processo negociador com o Governo espanhol.

A organizaçom sindical galega interpreta a ofensiva repressiva espanhola como umha recusa a "topar vias de diálogo que facilitem o caminho da paz e que possibilitem assim que se materialize umha soluçom política ao conflito que vive Euskal Herria".

Continua recolha de assinaturas em solidariedade com Euskal Herria

Entretanto, continua a recolha de assinaturas para serem publicadas no blogue que contém o abaixo-assinado "Manifesto Galego de solidaridade com Euskal Herria". Quase duascentas e cinqüenta pessoas apoiárom já o texto, feito público logo a seguir à detençom de grande número de importantes dirigentes da esquerda abertzale.

Representantes de organizaçons como NÓS-Unidade Popular, a CIG, BRIGA, AGIR, Corrente Vermelha, PCPG ou do nosso partido, bem como de centros sociais, entidades feministas, culturais e pessoas sem adscriçom partidária ou associativa figuram já na lista de apoios ao texto, que condena "energicamente esta vaga repressiva" e solicita "publicamente a liberdade de tod@s @s detid@s e a garantia de respeito para a os seus direitos e integridade física."

 

Voltar à página principal