'Democracia' à espanhola

10 de Fevereiro de 2008

Em pleno coraçom da Europa, existe um Estado em que importantes sectores sociais tenhem proibidos direitos fundamentais como o de reuniom, manifestaçom ou participaçom política. É o Estado espanhol, cujo modelo jurídico-político fica longe de umha democracia aceitável, e onde as naçons sem Estado sofrem a repressom judicial e policial com brutalidade 'proporcional' ao seu nível de consciência e participaçom social.

Assim, a proibiçom de participaçom da esquerda abertzale basca nas eleiçons ditas 'democráticas' do próximo dia 9 de Março foi avaliada positivamente polos grandes partidos espanhóis (PP e PSOE), enquanto o nacionalismo domesticado galego (BNG) questionava, através do seu ainda deputado em Madrid, Francisco Rodrigues, que nom se figesse "com suficiente cuidado e precisom democrática" (sic), mas nom o facto em si de ilegalizar 250.000 bascos e bascas, através de umha infumável Lei de Partidos, e encarcerar toda a direcçom política desse movimento independentista.

Para hoje estava convocada umha manifestaçom convocada por ANB em Bilbo, também proibida polo tribunal de excepçom espanhol (a Audiência Nacional), e que acabou com a polícia do PNB enfrentada a milhares de bascos e bascas que queriam exercer o direito a protestar contra as arbitrariedades judiciais espanholas.

Eis o modelo democrático bourbónico que nos impom a classe dirigente espanhola em colaboraçom com forças ditas de esquerda (IU, BNG e companhia) que dam aparência 'pluralista' à 'Espanha una, grande y libre' de toda a vida.

Actualizado a 11 de Fevereiro

Detençom de outras 14 pessoas pola sua actividade estritamente política

Ao abrigo da Lei de Partidos, outras 14 bascas e bascos fôrom detidos nesta madrugada em diferentes pontos do País Basco, acusados de 'delitos' como realizar conferências de imprensa, fazer declaraçons em nome da esquerda abertzale e participar em manifestaçons soberanistas.

Nom sabemos se desta vez o BNG achará que houvo "suficiente cuidado e precisom democrática". Esperamos que no-lo esclareça com a mesma agilidade com que costuma apoiar as operaçons repressivas em território galego.

Entretanto, o independentismo basco convocou umha greve geral para esta quinta-feira, para fazer frente à loucura repressiva espanhola.

 

Voltar à página principal