O divertido 'jogo democrático': 28.000 euros de indemnizaçom às 'senhorias' nom reeleitas

13 de Fevereiro de 2008

Agora sabemos a que se referiam o PP, o PSOE e o BNG quando dixérom que concentraçons reivindicativas como a do estudantado compostelano ontem vam contra "o jogo democrático": Os deputados e deputadas do congresso espanhol nom reeleitos receberám indemnizaçons de 28.000 euros. Bonito 'jogo democrático' o das suas respeitáveis 'senhorias.

Referimo-nos àqueles e àquelas que nom renovarem a sua condiçom parlamentar no próximo dia 9 de Março. Para eles e elas, o generoso Congresso dos Deputados, financiado polo Estado e este, por sua vez, por todos e todas nós, tem reservados 3,2 milhons de euros com que garantir um despedimento em condiçons.

Prevê-se que as deputadas e deputados atingidos pola medida serám uns 116, que com umha média de oito anos de serviço e graças a um aumento de 34,45% na verba dedicada a tam 'nobre' causa, receberám, em conjunto, 12.717.670,78 euros neste mesmo ano, segundo di o Orçamento aprovado polas mesmas senhorias que se lucrarám, com um aumento de meio ponto acima do IPC, aliás.

Lestes bem: 28.000 euros por cabeça!!

Som, repetimos, 28.000 euros por deputado ou deputada, consoante a decisom tomada em 2006 mediante umha modificaçom do Regulamento de Pensons Parlamentares e outras prestaçons económicas a favor dos ex-parlamentares. A justificaçom? Antes careciam -pobrinhos!- de cobertura como desempregados e desempregadas e, claro, o habitual 'argumento' nestes casos: "som as indemnizaçons que se dam na maioria de parlamentos dos estados europeus".

É bem curiosa a fortuna desses senhores e essas senhoras: som seguramentamente os únicos 'trabalhadores', as únicas 'trabalhadoras', que decidem directamente sobre o que querem cobrar, o que querem aumentar ao que cobram e sobre o resto de regalias dos postos que ocupam. E, claro, som bastante mais generosos e generosas que quando se trata de legislar para o resto dos mortais.

Assim se entende que o PP, o PSOE e o BNG coincidam na hora de se darem cobertura quando os seus privilégios som postos em questom por sectores populares, como aconteceu ontem na Universidade de Compostela. Depois de todo, todas e todos os seus representantes institucionais gozam dos mesmos privilégios, e tenhem o mesmo interesse em que continue o 'jogo democrático'.

 

Voltar à página principal