Governe quem governe... mais de 8.000 pessoas enchem a Quintá contra a destruiçom do território

17 de Fevereiro de 2008

A indignaçom colectiva do nosso povo nom foi amansada pola domesticaçom da dirigência autonomista do BNG. Os movimentos sociais tenhem vida própria e hoje demonstrárom-no nas ruas da capital da nossa naçom, e enchendo por completo a praça da Quintá, apesar de nom contar com o palco que cada 25 de Julho ajuda a enchê-la ao ocupar 1/4 da mesma.

Desta vez, contra vento e maré, contra a manipulaçom e silenciamento mediático; contra os três partidos parlamentares e sem o apoio dos principais sindicatos -excepto o SLG, que recentemente rompeu com a dependência da UPG-, a Galiza voltou a demonstrar que há energia para defender os recursos naturais da predaçom e os espaços naturais e urbanos de especuladores urbanísticos e energéticos.

Umha grande massa formada por numerosas entidades sobretodo locais e comarcais, mas também nacionais, apresentárom-se como verdadeira oposiçom à fraude política e institucional protagonizada nos últimos três anos polo PSOE e o BNG, perfeitos continuadores da linha neoliberal, nepótica e espoliadora do PP.

Governe quem governe... Galiza nom se vende

Daí que a palavra de ordem mais coreada na manifestaçom convocada pola plataforma 'Galiza nom se vende' fosse hoje precisamente: 'Governe quem governe, Galiza nom se vende'.

Contra o saque dos recursos mineiros no Courel; contra os portos desportivos e as piscifactorias em toda a costa galega; contra Reganosa e as cumplicidades políticas; contra o AVE e por umha verdadeira rede de caminhos de ferro nacional... e sem faltar o bom humor, com umha performance a parodiar os líderes dos principais partidos: Tourinho, Quintana e Feijó, igualados numha caracterizaçom que os rodeava de euros, de caixas galicias, tojeiros e millarmires.

Os meios mentindo e silenciando: no seu papel

Tal como se anunciou na própria alocuçom final da manifestaçom de hoje, os meios voltárom a mentir e manipular. Com bastantes mais manifestantes que nas 'tradicionais' manifestaçons que no 25 de Julho concluem no mesmo lugar, alguns meios falam já de 5.000 manifestantes, o que poderia ser discutível... se nom fossem esses mesmos os meios que costumam atribuir 15 ou 20 mil manifestantes (!!) às convocatórias do BNG cada Dia da Pátria. Um número este que, além do mais, ninguém conseguiria introduzir numha praça como a da Quintá.

Por outra parte, a esquerda independentista estivo hoje representada por militantes e simpatizantes de NÓS-Unidade Popular, entre os quais se encontravam os dous militantes de AGIR libertados ontem, após a detençom policial do dia anterior.

No fim da manifestaçom, após o canto do Hino Nacional, alguns manifestantes retirárom a bandeira monárquica espanhola da sede oficial do Edifício da Parra, ao fundo da praça da Quintá, entre os aplausos d@s manifestantes.

A seguir, apresentamos umha pequena mostra gráfica da histórica manifestaçom do meio dia de hoje em Compostela:

 
 
     
 

 

 

Voltar à página principal