SNP lança Diálogo Nacional sobre o futuro da Escócia

15 de Agosto de 2007

O líder do Partido Nacional Escocês (SNP) e ministro principal da Escócia, Alex Salmond, apresentou o plano em que o seu partido concretiza a promessa eleitoral de um referendo de autodeterminaçom a realizar no horizonte de 2010. Um plano que tem em conta a maioria simples com que conta o seu partido no governo autónomo escocês, evitando umha aposta clara na opçom independentista.

A pretensom do SNP é reformular o relacionamento institucional com Londres, com base no direito a decidir do povo escocês, a partir de um debate social prévio em que a Escócia se afirme como sujeito de direitos, para além da opçom concreta do partido governante em Edimburgo, que é a da independência.

O plano apresenta-se sob a denominaçom Diálogo Nacional sobre o futuro da Escócia, reconhecendo umha "ampla variedade" de possibilidades para a mudança de status escocesa, dando unicamente por feito que essa mudança tem que produzir-se e que é ao povo escocês que corresponde decidir até onde vai chegar, incluída a possível negociaçom da independência por parte do governo escocês com o executivo británico.

A independência escocesa conta com o apoio de entidades suprapartidárias como Independence First ou Independence Convention, bem como das organizaçons políticas Partido Socialista Escocês (SSP) e o Partido Verde Escocês (SGP), enquanto Trabalhistas, Conservadores e Liberal democratas defendem a manutençom do status actual de dependência.

A posiçom do Partido Socialista Escocês

Das forças pró-independência, o SSP, principal partido anticapitalista, manifestou a sua adesom à abertura do Diálogo Nacional sobre o futuro da Escócia proposto polo primeiro ministro, defendendo o avanço em direcçom a umha Constituiçom escocesa para o Século XXI, assumindo o Parlamento escocês, criado em 1999, todo o poder que hoje está em maos do Estado británico.

O Partido Socialista Escocês, que nas últimas eleiçons perdeu a sua representaçom institucional, receia que o SNP, de orientaçom social-democrata, queira manter a Escócia ligada à Coroa británica, insistindo por isso na necessidade de fixar a República Escocesa como objectivo irrenunciável para o soberanismo escocês, após 300 anos da imposiçom do Tratado da Uniom com Inglaterra.

 

Voltar à página principal