Os ricos contra a imigraçom: capitalismo europeu mostra o seu rosto mais desumano

18 de Junho de 2008

A fortaleza das elites capitalistas europeias mostra cada vez mais abertamente a sua condiçom: o seu parlamento aprovou umha nova lei para a repressom da populaçom imigrante, a chamada 'Directiva do Retorno", aprovada com os votos da direita, da extrema-direita e de umha parte dos partidos mal chamados 'socialistas'. Adivinhades qual foi o sentido do voto do 'progressista' PSOE?

Com efeito, o PSOE também votou a favor da nova lei, que foi aprovada sem qualquer modificaçom, ao serem rejeitadas todas as emendas. A nova lei é um ataque frontal aos direitos humanos das pessoas imigrantes sem papéis, que serám automaticamente conduzidas a cárceres eufemisticamente chamados "centros de detençom", ondem poderám ficar até um ano e meio até serem finalmente expulsas por ordem judicial. A partir da expulsom, nom poderám entrar em território da UE durante cinco anos.

Quanto às crianças, também serám expulsas sem verificar qualquer cobertura social ou educativa para elas no país de origem: serám simplesmente entregadas na outra margem da fronteira. De maneira sintética, pode dizer-se que a nova lei converte as pessoas imigrantes em delinqüentes automáticas, obrigando-as a abandonar imediatamente o território dos ricos europeus se nom querem ficar em prisom durante 18 meses antes de ser expulsas na mesma.

Todo um exemplo da 'Europa social' que nos vendem os defensores da Constituiçom europeia primeiro, e do Tratado de Lisboa depois; os mesmos que há umha semana aprovárom a volta à semana laboral de 65 horas. A fascizaçom avança e é urgente organizar a resistência operária, popular e nacional, neste caso dando todo o apoio à populaçom imigrante, luitando pola abertura de fronteiras e mantendo o olhar na imprescindível derrota do capitalismo.

 

Voltar à página principal