Sucedem-se denúncias contra a Guarda Civil por lançar ao mar imigrantes africanos

29 de Março de 2008

A morte de Laucling Sonko, imigrante senegalês de 28 anos afogado após ser lançado ao mar pola Guarda Civil espanhola, deu passagem a novas denúncias por casos semelhantes protagonizados por essa força repressiva de carácter militar, alegadamente acontecidos na Baía de Benzu, perto da colónia espanhola de Ceuta.

As denúncias partem de cooperantes nom governamentais em Marrocos, que desenvolvem trabalhos de ajuda às pessoas imigrantes que tentam chegar à Europa. Polos vistos, as pessoas indocumentadas interceptadas no mar terám sido recolhidas por barcos da Guarda Civil, que os abeira de Marrocos para os lançar novamente ao mar, desentendendo-se da sorte dessas pessoas.

Os factos, de que som vítimas sobretodo pessoas de origem subsaariana, som conhecidos e denunciados em Marrocos, mas justificados polas autoridades espanholas, que os consideram parte de um 'protocolo legal'.

É difícil conhecer o número real de vítimas dessas práticas da Guarda Civil, que continua assim a 'cobrir-se de glória' como corpo repressivo de vanguarda do Estado espanhol.

 

Voltar à página principal