Mais um morto (e vam quatro) nas obras do porto exterior da Corunha

28 de Novembro de 2007

Continua o pingar contínuo de acidentes no mercado laboral galego. Desta vez foi um operário do porto exterior da Ponta Lagosteira, na Corunha, a vítima mortal numhas obras em que três mortes anteriores nom fôrom suficientes para que fossem adoptadas as medidas de segurança imprescindíveis.

O camiom guiado polo trabalhador acidentado, de 43 anos, caiu por um talude, ficando o operário gravemente ferido até ser levado por umha ambuláncia, sem que finalmente pudesse salvar a vida.

A empresa responsável polo acidente chama-se PEAL, subcontratada há um mês e meio pola Unión Temporal de Empresas Langosteira, por sua vez formada por Dragados, Drace, Copasa e Sato. Há que lembrar que a Inspecçom de Trabalho chegou a paralisar as obras devido à falta de segurança com que se vinha trabalhando, após três mortes de operários nos últimos dous anos. Porém, a volta à normalidade nom supujo a activaçom de medidas suficientes, e agora deparamos com a quarta vítima mortal.

A experiência anterior e a impunidade com que agem as grandes empresas em causa fam-nos suspeitar que este poderá nom ser o último acidente grave na Ponta Lagosteira.

 

Voltar à página principal