Mais acidentes laborais graves e mortais em diferentes pontos da Galiza

5 de Abril de 2008

Perante a passividade das instituiçons públicas responsáveis, as mortes e ferimentos continuam a suceder-se no mercado laboral do nosso país. A última morte corresponde a um operário de 55 anos, originário de Abadim, que trabalhava na construçom civil em Lugo, ao cair de umha altura de nove metros polo poço do elevador de um prédio em obras.

Também em Lugo e no mesmo dia, um trabalhador da construçom sofreu também umha queda numha obra, desta vez de cinco metros de altura, ficando ferido grave com traumatismos lombares e fracturas nos dous braços. O ferido tem 31 anos.

No concelho próximo de Outeiro de Rei, um obreiro de 40 anos caiu de umha altura nom determinada, na zona industrial de Marcelhe, ficando ferido de umha consideraçom que desconhecemos no momento de redigirmos esta notícia. No mínimo, sabe-se que partiu umha perna.

Em Vigo, um operário foi ferido ao receber um golpe de umha máquina, no parque móvel da Cámara Municipal nessa cidade do sul da Galiza, concretamente no bairro de Lavadores.

Nom é fácil acompanhar o ritmo diário de acidentes laborais na nossa naçom. Porém, e apesar de nom merecerem o protagonismo mediático de outros episódios de violência social e política, o nosso portal nom vai colaborar no silenciamento deste drama social que afecta tam directamente à classe obreira galega e que tem responsáveis claros: as administraçons públicas e o patronato empresarial.

 

Voltar à página principal