Militante mapuche ultrapassa 80 dias em greve de fame

3 de Janeiro de 2008

Patricia Troncoso, luitadora comuneira mapuche presa numha prisom chilena, mantém a sua greve de fame desde o dia 10 de Outubro, em protesto polos julgamentos irregulares e contra a legislaçom antiterrorista de que é alvo o povo mapuche, em luita contra a predaçom dos seus recursos polo grande capital chileno.

A repressom cada vez mais violenta e generalizada, a cobertura das forças policiais às grandes firmas espoliadoras da riqueza natural mapuche, o aumento do número de prisioneiros e prisioneiras desse povo submetido polo Estado chileno, som enfrentados durante mais de dous meses por um grupo de presos e presas em greve de fame.

Na actualidade, só umha mulher, Patricia Troncoso, resiste na mais dura luita em defesa dos direitos do seu povo. Contra o silenciamento imposto polo Governo chileno à repressom do povo originário mapuche e à greve de fame de Patricia Troncoso, nom queremos deixar de manifestar, neste povo também privado de soberania no coraçom da Europa, chamado Galiza, a mais firme solidariedade internacionalista com os irmaos e irmás mapuche.

Oferecemos a seguir umha gravaçom com as palavras de Patricia Troncoso, no interior da cadeia e durante a greve de fame que ainda mantém, em que fala da luita do seu povo contra a espoliaçom capitalista sustentada polos sucessivos governos chilenos, incluído o actual em maos ditas "socialistas". Som 6 minutos e 11 segundos falados em espanhol da América.

Também convidamos a visitar habitualmente o blogue em que se informa da greve de fame de Patricia Troncoso, chamado Situación Mapuche, aqui.

.

Voltar à página principal