Helicópteros ianques matam ao menos 49 civis em Bagdade, crianças incluídas

21 de Outubro de 2007

Quando a brutalidade e o terrorismo de estado é a norma, corremos o risco de nos afazermos à contagem de vítimas inocentes. Tal é o caso do Iraque, onde os genocidas norte-americanos continuam a matar civis praticamente a diário e com total impunidade. Os mesmos genocidas que, graças ao gesto amigável do governo espanhol, passeárom a bandeira das barras e as estrelas polas ruas de Madrid no passado 12 de Outubro.

Por isso de Primeira Linha em Rede, apesar das limitaçons do nosso meio informativo, nom queremos deixar de denunciar os assassinatos das forças imperialistas ocupantes. Desta vez fôrom ao menos 49 as pessoas mortas por um ataque aéreo indiscriminado realizado por helicópteros dos Estados Unidos contra o bairro xiita de Cidade Sadr, a leste da capital iraquiana.

Como é costume, o comando ocupante dixo que o alvo do operativo armado era "os criminosos responsáveis polos seqüestros de soldados da 'coligaçom' em Novembro de 2006 e Maio de 2007". Quer dizer, um ataque de vingança contra a populaçom civil pola actividade das forças guerrilheiras da resistência patriótica. Entre as vítimas mortais há um número indeterminado de crianças.

"Estávamos a levantar-nos de manhá e, de repente, começárom a cair foguetes sobre a casa e as crianças começárom a gritar", declarou umha moradora do bairro. Também várias escolas existentes na zona fôrom destruídas polo bombardeamento aéreo, felizmente quando os nenos e nenas ainda nom estavam dentro. Um número de casas indeterminado ficou totalmente destruído, dentro de um ataque de puro terrorismo que a linguagem politicamente correcta dos media do sistema nunca denominarám assim. Eles preferem chamá-los "danos colaterais"...

 

Voltar à página principal