Como o PP: Bipartido da Junta continua com nomeaçons 'digitais' de altos cargos

5 de Janeiro de 2008

A CIG denunciou novamente os procedimentos de eleiçom de cargos públicos por parte do governo autónomo galego. Desta vez, a central sindical nacionalista assinalou o caso do chamado director do Bem-Estar, dependente da Vice-Presidência, que vai ocupar o posto por eleiçom "a dedo"', num processo cozinhado directamente por Quintana e por Castrilho.

Trata-se de Andrés Vasques Pinheiro, que atingiu o primeiro lugar no processo de selecçom para umha vaga que já ocupa desde Janeiro do ano passado, após a nomeaçom 'digital' sob recomendaçom directa do vice-presidente da Junta, Anxo Quintana, e do gerente do Consórcio Galego de Serviços de Igualdade e Bem-Estar, Lois Castrilho.

Representantes sindicais nacionalistas em Sam Caetano mostrárom a sua convicçom 'a 100%' de que Vasques irá ganhar a vaga convocada, na entrevista pessoal em que concorrerá com umha outra candidata.

A CIG afirmou que "se tivesse vergonha, abandonava o processo", como de facto fijo a directora de Igualdade, Pilar Candócia, ex-vereadora do BNG em Ames, após o escándalo gerado durante o processo.

Também Vasques Pinheiro conta com o favor do BNG, segundo denuncia a CIG, pois de facto é um destacado militante de Vigo -como Castrilho- e amigo pessoal deste e do próprio Quintana.

A CIG é contundente ao afirmar que a convocatória está "amanhada" e cheia de "irregularidades", tais como a nom publicaçom da mesma no DOG e a ausência de representantes sindicais no júri, entre outras.

 

Voltar à página principal