Trabalhadoras e trabalhadores galegos continuam com os soldos mais baixos do Estado

26 de Novembro de 2007

O ordenado médio da classe trabalhadora galega foi em 2005 de menos de 16.000 euros por ano, ficando só acima da Estremadura e Canárias no conjunto do Estado espanhol. Concretamente, o salário médio atingiu apenas os 15.621,45 euros, segundo dados do Inquérito Anula de Estrutura Salarial que publica o Instituto Nacional (espanhol) de Estatística.

A média espanhola situava-se no mesmo período em 18.676,92 euros, e a média mais alta correpondeu às comunidades de Madrid (22.973,66€), País Basco (21.730,03€) e Catalunha (20.067,13€).

Também o crescimento salarial da Galiza foi o mais baixo do Estado, com só 0,8%, face aos 3,5 da Rioja e Castela e Leom, as comunidades que mais vírom aumentar os salários.

Se entrarmos em distinçons de género, veremos que o soldo das mulheres é, em média, 25% mais reduzido que o dos homens, o que confirma a vigência da marginalizaçom por razom de sexo como parámetro socioeconómico na Galiza e no conjunto do Estado espanhol.

Também por idades deparamos com importantes diferenças, sendo os trabalhadores e, sobretodo, as trabalhadoras mais novas quem cobram menos (entre 25 e 34 anos). Também o trabalho a tempo parcial é pior pago que o completo, atingindo 34% menos os trabalhadores e trabalhadoras em precário.

 

Voltar à página principal