Vigília em Compostela polo assassinato de umha mulher trans em Lisboa

27 de Março de 2008

Ontem, às 20h00, um grupo de activistas de Aturuxo (Federaçom galega de colectivos LGBT) desenvolveu umha acçom de homenagem a Luna, mulher trans assassinada recentemente em Lisboa.

Com essa acçom, os colectivos quigérom aliás, denunciar a violência transfóbica que em Portugal tem matado duas mulheres nos últimos dous anos.

Duas companheiras dos colectivos deitárom-se sobre umha grande bandeira das seis cores e tapadas com um lençol branco, simbolizando a violência sofrida por Gisberta (mulher trans assassinada e torturada brutalmente no Porto há dous anos) e a que agora cobrou a vida de Luna. Umha acçom que provocou o silêncio e a solidariedade das compostelanas e compostelanos que passeavam sob a chuva nesta central praça da Cidade Velha. Simultaneamente outras companheiras e companheiros repartiam panfletos informativos e seguravam umha faixa em que se podia ler TRANSFOBIA O ÓDIO QUE MATA. Luna, mulher trans prostituta assassinada.

Desta maneira, a Galiza, junto da jornada convocada à mesma hora na Corunha polas companheiras de 'Nomepisesofreghao' e 'Maribolheras Precárias ' (http://maribolheras.blog.com/) responde ao chamamento das companheiras portuguesas para denunciarem a violência mais crua do patriarcado.

Mais informaçom em: http://lgbt.agal-gz.org e http://panterasrosa.blogspot.com

 

Voltar à página principal