Reitor compostelano aponta para só dous dos estudantes independentistas detidos

21 de Março de 2008

Agora que a voragem mediática deixou de girar em torno do acto estudantil de rechaço à presença da reaccionária San Gil na Universidade de Compostela no passado mês de Fevereiro, a 'imediata' actuaçom repressiva anunciada pola decana de Económicas Maite Cancelo nom conseguiu ir avante nem no quadro da Junta de Faculdade.

Agora o reitor, Senén Barro, admitiu que qualquer expediente ou actuaçom repressiva terá que esperar o 'aval' de umha sentença judicial contra o estudantado que participou naquela manifestaçom de livre expressom e acabou espancado polas forças de segurança privadas da dirigente do PP.

No seu web, AGIR sublinha umhas declaraçons do Reitor, que fala de apenas "dous estudantes acusados", quando na verdade houvo cinco detençons e sete identificaçons. Nom é estranho supor que Senén Barro está a referir-se aos dous militantes de AGIR que fôrom detidos em primeiro lugar e passárom umha noite nos calabouços de maneira arbitrária. Tam arbitrária como o critério do reitor para focar a repressom em só duas pessoas, sem dúvida com afám exemplarizante para o futuro.

Naturalmente, o passar das semanas nom nos fai esquecer essa infame campanha e continuaremos de olho nos passos que as 'autoridades' universitárias podam tentar contra esses dous ou quaisquer outros e outras estudantes organizadas e activas em defesa de um ensino galego, público, laico e de qualidade.

 

Voltar à página principal