Senén Barro contra AGIR: equipa reitoral da Universidade de Compostela quer cercear direito de participaçom nas eleiçons ao claustro

3 de Abril de 2008

A reitoria da USC continua a dar passos em direcçom à restriçom de direitos entre o alunado, desta vez a poucos dias da convocatória de eleiçons ao Claustro universitário. Contra qualquer decoro democrático, o órgao dirigente excluiu a entidade estudantil independentista, AGIR, das informaçons enviadas às entidades universitárias com representaçom nos diferentes órgaos de governo.

Além disso, pola primeira vez produz-se umha modificaçom nas condiçons para apresentar candidaturas, partindo da exigência de pertencer ao registo universitário, requisito inexistente e que, 'por acaso', afecta a AGIR, que em todos estes anos tem tido representantes institucionais apesar de nom fazer parte do tal 'registo'.

Ao contrário que as entidades 'ordeiras', as candidaturas alheias a esse registo ficarám sujeitas à responsabilidade de representantes das mesma, segundo um novo preceito que cheira a controlo 'preventivo' de nom se sabe que 'ameaças' por parte do alunado mais activo e crítico em relaçom à deriva privatizadora, neoliberal e pró-espanhola das universidade galega.

Frente às barreiras institucionais, perfeitamente harmonizadas com as campanhas de linchamento mediático, AGIR já anunciou no seu web que estará nas eleiçons ao claustro da USC, defendendo o seu programa em defesa de umha universidade pública, galega, científica e de qualidade.

 

Voltar à página principal