Ferrol: La Voz de Galicia contra NÓS-Unidade Popular

28 de Outubro de 2007

A direita espanhola dedicou em Ferrol os últimos anos a tentar preparar a opiniom pública para umha nova normativa municipal que persiga a livre expressom nas ruas, com duras multas à afixaçom de cartazes, ao reparto de propaganda ou à realizaçom de pintadas. A derrota eleitoral do PP e de IF evitou a aprovaçom da nova normativa, mas nom a campanha mediática protagonizada por La Voz de Galicia, que nas últimas semanas se centra em misturar activismo sociopolítico e vandalismo urbano.

Umha campanha em que NÓS-Unidade Popular está a ser alvo principal, como se viu nas "informaçons" publicadas no dia 26 de Outubro, em que se acusava a militáncia independentista de "pintarrajear" sinais de tráfico, em referência ao intenso labor de galeguizaçom toponímica existente na comarca de Trasancos.

A absolviçom de dous militantes de NÓS-UP num julgamento realizado na semana passada em Ferrol, após a denúncia de membros da polícia local ferrolana, provocou a ira do referido jornal pró-espanhol, que nom conseguiu dissimular a sua irritaçom e acusou as pessoas que galeguizam topónimos de "correctores de la pureza". Queixando-se amargamente pola falta de castigo aos acusados, La Voz de Galicia disfarçou a realidade para favorecer a criminalizaçom. Assim, fala de "dous jovens", quando um dos militantes tem quase 40 anos, e meteu num mesmo saco os destroços de bens públicos urbanos e a reivindicaçom de respeito aos direitos lingüísticos dos galegos e as galegas.

Também no dia 22, o mesmo jornal publicou umha extensa reportagem em que identificava NÓS-UP com ataques a bens públicos e da vizinhança ferrolana. Naturalmente, a imediata resposta da organizaçom independentista e socialista galega foi totalmente silenciada polo mesmo jornal-panfleto da extrema-direita espanholista.

Todo serve para criminalizar a esquerda independentista e criar um estado de opiniom favorável a novas normas legais mais restritivas e de controlo social. La Voz de Galicia, que é cada vez mais bem conhecida polos seus enganos e censuras por quem tem um mínimo de actividade em qualquer movimento social, continua ao serviço dos de sempre, pondo toda a sua experiência em manipulaçom informativa ao dispor dos que mandam... e pagam.

 

Voltar à página principal