Normas de segurança nas manifestaçons:

- Nom vaias nunca só: acode ao ponto de partida da manifestaçom em companhia doutros companheiros e camaradas. No fim da manifestaçom, nom te vaias só, fai-no sempre em grupo.

- Acode em transporte público, ou estaciona o carro a umha distáncia prudencial do lugar de partida e chegada da manifestaçom ou da concentraçom.

- Nom leves no carro nem contigo documentos políticos (actas de reunions, informes, textos de debate, etc...), nem agenda, chaves dos locais ou sedes, notas com endereços doutras pessoas, etc...

- Cobre a cara exclusivamente em caso necessário, e avisa o serviço de ordem do acto se detectares algumha pessoa suspeita.

- Solicita sempre a identificaçom às/aos jornalistas e anda de olho com as perguntas que che podam fazer e com as entrevistas.

- Nom pronuncies nem berres nengum nome durante o acto para nom facilitar a identificaçom das pessoas que te rodeiam.

- Atent@ às provocaçons e aos infiltrados. Nom te deixes enganar por palavras de ordem combativas e nom participes em acçons de que nom conheces nem a origem nem a gente que as promove.

- Marca sempre umha cita de segurança com os companeiros e companheiras no final do acto.

- Procura seguir sempre as indicaçons de quem organiza o acto e do serviço de ordem, e nom andes por livre.

- Se aparecerem as forças de ocupaçom, polícia, nom comeces a correr. Cumpre agüentar o máximo de tempo possível no lugar.

- É importante que conheças o percurso completo da manifestaçom antes de ela começar. Pergunta sempre ao serviço de ordem.

- Observa sempre todo o que te rodeia. Podes detectar video-cámaras, falsos jornalistas, polícia à paisana, etc...

- Se vas vestid@ com discreçom, sem chamar a atençom, será mais difícil que te podam identificar, e mesmo deter, depois da manifestaçom ou concentraçom.

- Se fores vítima dumha agressom policial e tiveres de acudir ao hospital, fai-no sempre acompanhad@ doutras pessoas conhecidas e de confiança.



Que fazer em caso de detençom?


- Tés direito a que a polícia faga saber à pessoa que tu designes o motivo da tua detençom e o lugar onde te encontres detido.

- Podes designar @ advogad@ que tu decidas. Só terás que saber o seu nome e apelidos. Procura sempre ter um/ha advogad@ com o que saibas que podes contar, para isso, ponte em contacto com a organizaçom antirrepressiva.

- Tés direito a utilizar a língua galega em todas os trámites por que che fagam passar.

- Antes de declarar, terám que ler-che os teus direitos e comunicar-che formalmente o motivo da tua detençom e a acusaçom que se che formula para saber de quê é que te defendes.

- Tés direito a ser atendid@ por um médico forense: relata-lhes, de ser o caso, todas as agressons sofridas e maus tratos, de todo o tipo, a que fores submetid@.

- Nom podes declarar sem a presença d@ teu/tua avogad@. Nom deves aceitar interrogatórios ilegais. Em caso de nom ser possível, fai-no constar no teu depoimento ante @ avogad@ e assegura-te de que consta por escrito na declaraçom.

- É sempre aconselhável nom declarar.

- Nunca te declares culpado. Nega todos os factos dos que te quigerem responsabilizar ainda que te pressionem. Tés direito a mentir. Se o procedimento continuar adiante já terás tempo de preparar umha boa declaraçom com @ teu/tua avogad@.

- Tés direito a apresentar o Habeas Corpus se te detivérom ilegalmente. Se for aceite, passarás directamente a disposiçom judicial.

- Se fores menor de idade, terám que pôr em conhecimento dos teus familiares ou tutores/as a tua detençom.

Conselhos práticos

- Nom assines nada sem tê-lo lido antes atentamente e por completo. Nom assines nengumha acta que te poda culpabilizar (possessom de objectos, documentos, etc...) Se nom concordares com a transcriçom do teu depoimento, pede que seja rectificada.

- Tem cuidado com os objectos que tocas que che entregue a polícia, porque podem ser empregados em contra de ti.

- Se recebeche maus tratos, fai-no constar na tua declaraçom: interrogatórios ilegais, tratamentos vexatórios, nom dar-che comida ou bebida, nom deixar-te dormir, nom permitir-che ir à casa de banho, etc... Comprova que consta por escrito antes de assinar.

- Se elegeres advogad@ de ofício, pede-lhe que se identifique mostrando a sua documentaçom.

- Tem em conta que só poderás falar com o/a teu/tua advogad@ depois de ter declarado ante a polícia (mesmo que te negasses a declarar) e, portanto, nom te pode aconselhar antes. Depois do trámite de depor, tés direito a umha entrevista com o/a advogad@.

- Podes negar-te a responder a umha pergunta em concreto.

- Se che perguntam pola tua ideologia ou militáncia, tés direito, constitucional, a nom responder.

- Nom respondas a nengumha pergunta que nom faga referência a ti, ou bem responde que nom sabes.

- Caso sejas submetido a umha rolda de reconhecimento, é obrigatória a presença d@ advogad@.

- Se és mulher, só podes ser registada por umha mulher polícia.

- Se estiveres em busca e captura, informa o mais rápido possível o/a avogad@.

- Lembra: Nom estás só. O tempo corre a teu favor. Procura manter a calma. Na rua há gente preocupando-se por ti e trabalhando para a tua libertaçom.

Voltar à página de Documentaçom

Voltar à página principal