Militante basco irrompe ao vivo num informativo da TV basca para denunciar Apartheid

5 de Fevereiro de 2004

Actos eleitorais rebentados pola polícia, proibiçom de acesso aos meios de comunicaçom e de concorrência às eleiçons. Todo serve contra o independentismo. As acçons de resistência diversificam-se numha sociedade que nom se resigna à dependência e arbitrariedade impostas polo Estado espanhol.

Assim, hoje mesmo um jovem irrompeu ao vivo no plató do telejornal de ETB2 (televisom autonómica basca) ao vivo, para denunciar o "apartheid informativo" que sofre a esquerda independentista basca nos meios informativos públicos dessa Comunidade Autónoma, controlados pola coligaçom governante: PNB, EA e IU.

O moço mostrou um cartaz com a legenda "no aparthEiTB", denunciando assim como a direcçom do canal proibiu o acesso aos espaços eleitorais das opçons ilegalizadas polo regime espanhol. A acçom provocou a interrupçom da emissom por parte dos responsáveis do canal televisivo público basco.

Segundo a direcçom de ETB, a linha do canal continuará a ser a mesma, "umha vez que o seguimento que está a fazer da campanha eleitoral é apoiada por todos os membros do Conselho de Administraçom, excepto um".

Entretanto, a esquerda independentista basca convocou para este domingo umha nova manifestaçom pola autodeterminaçom. A mobilizaçom decorrerá em Donóstia a partir das cinco horas da tarde, e pretende denunciar também "o que está a ser feito contra a esquerda abertzale na campanha das eleiçons espanholas", como "Carlos Urquijo (delegado do Governo espanhola no País Basco) dá as ordens e a Ertzaina as cumpre, obstaculizando os actos abertzales". "Espancam os nossos militantes e simpatizantes e os responsáveis directos, PP e PSOE, dam as ordens enquanto PNB, EA, IU e Aralar olham para outro lado", afirmou em comunicado o proibido independentismo basco, que apesar da perseguiçom de que é objecto, assegura que "a papeleta em favor da autodeterminaçom estará nas urnas". "Ham de ser milhares quem vaiam votar com essa papeleta, e como tenhem medo disso, agora tentam obstaculizá-lo".

Voltar à página principal