Espectacular libertaçom de mais de 100 prisioneiros iraquianos numha acçom coordenada da resistência

14 de Fevereiro de 2004

Um ataque coordenado a umha esquadra policial, um complexo de segurança e a sede do Governo fantoche na cidade de Falluja, a oeste de Bagdá, terminou com polo menos 24 mortos – 14 deles polícias. Trinta pessoas também terám ficado feridas.

A operaçom terá envolvido cerca de 50 pessoas e, segundo o correspondente da BBC no Iraque Johnny Dymond, é a mais ousada já realizada pola resistência à ocupaçom norte-americana desde o fim da guerra.

Os guerrilheiros atacárom de várias direcçons, usando morteiros, explosivos e submetralhadoras, armas "mais potentes" do que as Kalashnikovs dos polícias iraquianos.

A seguir, o grupo foi de cela em cela libertando prisioneiros. Mais de cem ficárom livres, numha brilhante e audaz acçom da resistência patriótica.

Polo menos três participantes do ataque fôrm mortos, mas a maior parte do grupo fugiu antes da chegada do reforço das tropas norte-americanas.

O complexo de segurança atacado pertencia à Defesa Civil iraquiana e tinha sido já alvo de um ataque na última quinta-feira, quando o comandante militar norte-americano de mais alta patente no Oriente Médio, general John Abizaid, saiu ileso de um ataque guerrilheiro.

Poucas informaçons existem ainda do ataque à sede governativa fantoche de Falluja, que fica a cerca de um quilómetro da esquadra e do citado complexo.

Segundo a agência Reuters, os guerrilheiros matárom mais de 600 polícias e membros de outras forças iraquianas desde Abril do ano passado, no que seria umha tentativa de minar os esforços ianques para passar a responsabilidade pola repressom no país aos colaboracionistas iraquianos.

 

Voltar à página principal