EUA: assassinos natos
18 de Novembro de 2003

Las tropas imperialistas, cegadas polo constante castigo que lhes impinge a brava resistência patriótica iraquiana que defende a soberania do seu país, respondem indiscriminadamente com razias, detençom massivas e assassinatos de crianças.

A última selvajada protagonizada polos assassinos ianques tivo lugar num mercado da capital iraquiana, ao dispararem rajadas de metralheta contra a massa de gente que se encontrava no lugar. Três civis, incluída umha criança de 11 anos, caírom mortos ante os militares ocupantes, e e outras quatro pessoas fôrom hospitalizadas com ferimentos graves.

Nem estas acçons desesperadas, nem os bombardeamentos aéreos, nem as centenas assaltos a lares iraquianos e as detençons arbitrárias e massivas estám a conseguir qualquer resultado frente a umha guerrilha arroupada polo conjunto do povo iraquiano, que nom se deterá até ver libertada a sua naçom do imperialismo ocidental.

O mais que evidente ódio iraquiano às forças ocupantes está a fazer com que o comando ianque acelere a formaçom de milícias paramilitares formadas por sipaios iraquianos, que substituam progressivamente as desmoralizadas tropas ianques e inglesas no Iraque, sem questionar o domínio imperialista na área. O Pentágono espera poder substituir ao longo do próximo ano umha das suas quatro divisons presentes no Iraque por um desses contingentes locais.

Entretanto, o gotejar de soldados ocupantes mortos nom cessa. Ontem fôrom dous os ianques caídos sob o fogo da resistência.

 

Voltar à página principal