País Basco: campanha popular pola euskaldunizaçom da Justiça

11 de Janeiro de 2004

A organizaçom popular normalizadora basca Euskal Herrian Euskaraz promove a campanha que nos últimos tempos reivindica os direitos lingüísticos do povo basco no ámbito da Justiça. Jejuns, manifestaçons e outras actividades ao longo do País Basco dam conteúdo a esta iniciativa a favor do euskara.

A vila de Gernika está a viver um jejum por relevos organizado por EHE, e que ontem incluiu umha manifestaçom encabeçada polos membros desse colectivo que formárom o primeiro turno da greve de fame. Centenas de pessoas marchárom polas ruas de Gernika reclamando os direitos euskalduns e denunciando ante os julgados como está a ser "discriminado e espezinhado" o euskara no ambito judiciário.

Euskal Herrian Euskaraz enquadrou a ausência de juízes bascoparlantes na "estratégia de opressom a que está submetida Euskal Herria", o que obriga a trabalhar por um sistema judiciário e legalidade próprios sem ingerências dos estados espanhol e francês.

Dentro da mesma campanha normalizadora, nos últimos dias realizárom-se actos reivindicativos e mobilizaçons em Ondarroa, Mungia, Markina e Lekeitio, além da própria Gernika. Também os centros de ensino aderírom com interrupçons na actividade académica à iniciativa de EHE.

Por enquanto, a presidenta das Juntas Gerais de Biscaia, Ana Madariaga, tem-se recusado a receber umha delegaçom de EHE para tratar as reivindicaçons. Sozialista Abertzaleak fijo público o seu apoio às mesmas, ao tempo que criticou como o Governo autonómico evita qualquer compromisso para avançar na euskaldunizaçom da Justiça, o que fica em evidência na escassa quantia dedicada à verba correspondente aos planos de normalizaçom.

 

Voltar à página principal