Cuba acolhe refugiad@s haitian@s enquanto Bush adverte que nom permitirá a entrada de um só haitiano

1 de Março de 2004

O Estado cubano está a habilitar acampamentos para a chegada de refugiad@s haitianos, coincidindo com os confrontos armados que vive o país mais pobre da América. Frente à atitude solidária cubana, os poderosos vizinhos ianques unicamente estám a aproveitar a crise para garantir que a sua Administraçom mantém o controlo da situaçom na ilha haitiana, evitando que a crise poda derivar numha direcçom contrária aos seus interesses imperialistas.

Por sua vez, Cuba ofereceu à ONU o seu território para acolher até 750 refugiados e refugiadas haitianas, alargando em breve até 1000 o número de pessoas que poderám procurar acolhimento na ilha das Caraíbas. Em concreto, o acampamento está a ser instalado na Ponta de Maisi, e as primeiras dezenas de haitianos e haitianas já chegárom.

O porta-voz da ONU Ron Redmon lembrou que os governos tenhem a obrigaçom de "respeitar o direito humano de procurar e obter assilo", respondendo a decisom de George W. Bush de evitar que qualquer embarcaçom ocupada por haitianos e haitianas poda entrar no território ianque. De facto, mais de 500 pessoas dessa procedência fôrom já interceptados pola guarda costeira norte-americana.

Voltar à página principal