Três helicópteros mandados por Sharon matam em Gaza o xeque Iassin, líder de Hamas

22 de Março de 2004

O líder espiritual do grupo de resistência islámica palestiniano Hamas, xeque Ahmed Iassin, foi morto num ataque do exército sionista com três mísseis lançados por outros tantos helicópteros na Cidade de Gaza. Outros sete palestinianos, incluído o filho de Iassin, morrêrom no ataque, realizado com helicópteros Apache de fabrico ianque.

A organizaçom Hamas emitiu já declaraçom depois da morte de Iassin dizendo que o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, abriu os portons do inferno.

O primeiro-ministro palestinianoo, Ahmed Corei, condenou o que ele chamou de um acto covarde, afirmando que "a morte do líder do Hamas abriu o caminho para o caos". Por seu turno, o departamento de Estado norte-americano, principal cobertura do terrorismo de Estado sionista, afirmou que os dous lados agora precisam é ter calma.

Mas a Brigada dos Mártires de Al-Aqsa, braço militar do movimento Fatah, de Yasser Arafat, comprometeu-se a liderar umha guerra contra Israel.

Fôrom já ouvidos tiroteios e lançamentos de mísseis de morteiro por parte da resistência palestiniana na área desde que os ataques aéreos israelitas começárom.

A situaçom desesperada do povo palestiniano, vítima de um verdadeiro genocídio e abandonado à sua sorte polas principais insitutuiçons internacionais, só lhes deixa a opçom da luita. Para além dos contínuos ataques militares sionistas, o uso de uránio empobrecido na muniçom israelita tem provocado o ascenso de casos de cancro entre a populaçom palestiniana, cujo sistema sanitário está também semi-destruído polo sionismo.

Recomendamos a leitura deste artigo de Março de 2003, em que se esclarece a ligaçom entre as estratégias norte-americana e sionista para a conquista do Oriente Médio (+...)

 

Voltar à página principal