Confirma-se massacre de civis polos EUA no Afeganistám

2 de Fevereiro de 2004

O presidente do Afeganistám, Hamid Karzai, confirmou que 10 civis fôrom vítimas de um ataque aéreo norte-americano há duas semanas. "Depois que porta-vozes militares dos Estados Unidos assegurárom que os mortos no ataque eram cinco guerrilheiros, o Ministério do Interior afegao realizou umha investigaçom que concluiu que as vítimas eram civis; homens, mulheres e crianças", ressaltou Karzai.

Os factos acontecêrom na província afegá do Sul, Oruzgan, em 17 de Janeiro e, segundo a falsa informaçom dos militares norte-americanos, na sua acçom matárom cinco guerrilheiros rebeldes quando perseguiam supostos líderes da resistência Talibám. Desde esse mesmo dia, as autoridades locais e os moradores da zona reiterárom que as vítimas do ataque tinham sido 11 civis, quatro homens, quatro crianças e três mulheres.

No começo de Dezembro, em dous bombardeios aéreos distintos no Leste do Afeganistám, os militares norte-americanos matárom quinze crianças e polo menos outros três civis, quando supostamente atacavam alvos talibáns. Entom, funcionários locais dixérom que, se esta é a ajuda que vamos receber (dos Estados Unidos), podemos prescindir dela.

Prepotência dos EUA

No entanto, os Estados Unidos deixárom claro que nom desistirám das suas acçons militares no Afeganistám apesar da morte de civis e das abertas críticas da ONU, do governo de Cabul e das administraçons locais do país. "Se os nom combatentes estám em lugares onde há milhares de armas e muniçom, além de morteiros e granadas, em acampamentos que sabemos bem que som utilizados por terroristas, nom somos de todo responsáveis polas conseqüências", afirmou o prepotente tenente-coronel Bryan Hilferty, porta-voz das tropas norte-americanas no Afeganistám.

 

Voltar à página principal