Umha militante de AGIR pode perder umha orelha como consequência dos golpes da polícia municipal
AGIR mantem a celebraçom do concerto contra a guerra imperialista


AGIR comunica que apesar da atitude fascista do Concelho de Compostela ao proibir por decreto o concerto contra a guerra previsto para amanhá sexta-feira 11 de Abril, este acto lúdico-reivindicativo seguirá adiante. AGIR porá autocarros, que cada meia hora partirám das proximidades da praça dos Bombeiros, para transladar as pessoas a um local da periferia da cidade de Compostela no que se celebrará com total normalidade este concerto contra a guerra imperialista no Iraque.

Após umha tentativa frustada em negociar coa alcaldia a celebraçom dum concerto que contava com todos os permisos e autorizaçons pertinentes, e logo de que tanto o alcaide, José Sánchez Bugalho, como o concelheiro delegado desta área, Carlos Nieves, se negarám a receber, umha delegaçom de AGIR que tentava entrar em Rajói para pendurar umha faixa contra a repressom municipal e a prol da liberdade de expressom foi violentamente desalojada pola polícia municipal. Na carga que tivo lugar a última hora da manhá na portas do Concelho contra o meio centenar de estudantes e jovens concentrad@s resultou ferida de gravidade umha militante de AGIR que pode perder umha orelha por mor dos golpes recebidos.

AGIR denuncia a atitude intransigente e intolerante do PSOE que concede permisos para utilizar as ruas da capital de Galiza com critérios exclusivamente partidistas, assim como a cobardia do BNG à hora de permitir que Bugalho por decreto anule unilateralmente umha decisom da Comisom de Governo seguindo as indicaçons do jornal fascista El Correo Gallego que se converte assim na oficina da inquisiçom de Compostela.
Com esta atitude e talante fica bem claro a verdadeira rosto dum governo que se autocalifica como progressista, mas que nom permite celebrar um concerto porque as letras dalgumhas das cançons som a prol da independência das naçons sem estado e contrárias ao projecto nacional espanhol. Bugalho por acçom e Néstor Rego por omisom aplicam as directrizes do PP que utilizando o seu panfleto chamado El Correo Gallego decidem proibir o concerto do estudantado da esquerda independentista mediante umha campanha de intoxicaçom e criminalizaçom contra AGIR e o conjunto do MLNG.

Continuaremos adiante coas nossas actividades, na defesa dos interesses do estudantado galego e na luita por um ensino galego, público, de qualidade e nom patriarcal, e mobilizando-nos contra a guerra imperialista.

Sem outro particular, recebei saudaçons revolucionárias de

Daniel Lourenço Mirom
Responsável Nacional de Organizaçom de AGIR


Voltar à página principal