O Alfaiate foi pequeno para acolher a solidariedade com Corme


Dezenas de pessoas passárom a sexta-feira 7 de Fevereiro polo bar Alfaiate da Corunha onde NÓS-UP realizou um acto político-musical em solidariedade com @s trabalhadoras/es do mar de Corme. Nalguns momentos eram perto de oitenta o número de pessoas que ateigavam o local.

Após a apresentaçom de Diego Bernal Rico interviu o Ramiro Vidal Alvarinho -membro da Direcçom Nacional de NÓS-UP- para denunciar a actual situaçom de crise nacional provocada pola maré negra e o nefasto papel do reformismo autonomista na direcçom do movimento de massas. Posteriormente tivo lugar um recital poético no que participárom Lucia Aldao, Estíbaliz Espinosa, Iolanda Castanho e Celso Álvarez Cáccamo que também se solidarizou com a Unidade Popular ao lhe ser vetada a sua entrada na Plataforma Nunca Mais. A seguir, o cantor-compositor José Constenla amenizou com a sua música. Posteriormente actuou o grupo de pandereiteiras Algareiras e Tiruleque, grupo de música tradicional.

Estava prevista a intervençom do Patrom Maior da Confraria de Corme mas finalmente nom pudo assistir pola gravidade da nova vaga de fuelóleo que assolava essa zona.
Para colaborar com a confraria, -que nom recebe ajuda institucional nengumha e carece de recursos de todo tipo-, pugérom-se à venda bonos-ajuda a 2€, à que também vai dirigida umha percentagem das consumiçons realizadas no local.



Voltar à página principal