NÓS-Unidade Popular REIVINDICA UM SISTEMA COMARCAL DE COMUNICAÇONS RACIONALIZADO E ECOLÓGICO

08 de Julho de 2002

NÓS-Unidade Popular denuncia o projecto de construçom dum novo cinturom periférico para Compostela: este resposta à promoçom do carro individual em detrimento dos transportes públicos, e a um modelo de desenvolvimento dominado polos interesses das empresas automobilísticas, construtoras e imobiliárias. Esta política está a supor a divisom e destruçom dos núcleos de populaçom e implica um grave impacto ambiental e paisagístico.

Os graves problemas de saturaçom do tránsito tenhem a sua origem neste modelo de comunicaçons, que promociona o transporte privado individual e margina os transportes públicos e colectivos. Nom se solucionarám com a permanente ampliaçom das infraestruturas viárias comarcais, mas com umha reordenaçom racional, ecológica e em funçom das necessidades da populaçom.

Solidariedade com Vilestro, Graça e Eixo

Os projectos de construçom do segundo Periférico tenhem no seu ponto de mira @s vizinh@s destas paróquias. Os projectos afectarám 4000 pessoas e suporám a partiçom de aldeias como Quintáns, Roxos, Trás-Igreja, Som de Abaixo, Escarabunho, Valado ou Eixo. Este segundo Periférico limitará o futuro crescimento destas paróquias e acrescentará a sua carga de veículos até mais de 16.000 diários, aumentando igualmente o nível de ruídos e a poluiçom atmosférica. O traçado do novo Periférico nom suporá a soluçom de nengum dos problemas que as autoridades "pretendem" desenvolver, mas o seu agravamento.

NÓS-Unidade Popular chama a atençom sobre o traçado da nova via de alta capacidade polo Eixo, onde a N-525 supujo a partiçom da paróquia e contínuos acidentes e mortes. A esta via somou-se a autoestrada e engadem-se os projectos de construçom do TAV e o novo cinturom. O Eixo pode ser um exemplo prático do que podemos esperar @s vizinh@s da nossa comarca com a actual política de infraestruturas viárias.

Existem alternativas racionais e viáveis

NÓS-Unidade Popular aposta pola oposiçom a este projecto e por um modelo de transportes e comunicaçons socialmente rendível e respeitoso com o meio. @s independentistas defendemos a paralisaçom do projecto de construçom dum novo Periférico por ánti-popular e contrário a qualquer ordenaçom territorial racional da nossa comarca.

Opomos a este a nossa própria alternativa, resumível em grandes linhas na promoçom e planificaçom comarcal do transporte público, o aproveitamento e optimizaçom da rede viária actual, a paralisaçom da construçom selvagem à beira das estradas comarcais, a defesa da integridade dos núcleos populacionais e a conservaçom dum grande cinturom verde ao redor da cidade que evite a especulaçom e a suburbanizaçom do seu entorno. Estas e outras medidas deveriam ser recolhidas num Plano Estratégico de Ordenaçom Territorial da nossa comarca, elaborado com a participaçom das associaçons vizinais e em funçom dos interesses da maioria social e nom de promotoras, imobiliárias e empresas automobilísticas. A supeditaçom dos distintos PGOUs municipais a este plano comarcal seria obrigatória para todos os concelhos da comarca.

Voltar à página principal