Dezenas de milhares de pessoas em Compostela contra a guerra

As ruas da capital da Galiza, na manhá do domingo 6 de Abril, voltárom a ser o cenário dumha nova mobilizaçom contra a guerra imperialista. Convocada pola Corrdenadora Galega pola Paz, umha manifestaçom nacional de várias dezenas de milhares de pessoas percorreu desde a Alameda até o Obradoiro as principais artérias de Compostela.

O MLNG participou activamente com um nutrido cortejo configurado por três faixas de NÓS-UP e umha de AGIR e AMI respectivamente. Ao longo do percorrido encarapuzad@s realizárom diversas "pintadas" em bancos, empresas multinacionais, assim como em diversos autocarros públicos. Centenares de pessoas portavam cartazes coas fotografias d@s deputad@s do PP no parlamento espanhol eleit@s polas 4 "circunscriçons galegas" sob o epígrafe assassin@s.

Na rua do Hórreo diversas cabinas telefónicas com propaganda eleitoral do PP, -de Dositeo Rodríguez, candidato à alcaldia de Compostela-, fôrom destroçadas pol@s manifestantes. Na praça da Galiza o autonomismo e o espanholismo fracasou na sua tentativa de expulsar à esquerda independentista da manifestaçom, provocando diversos incidentes e confrontos coa militáncia do MLNG, que nom se arrugou perante as agressons da que tentou ser objecto por exaltados de IU, do PSOE e do BNG.
Um boneco disfarçado de Aznar com o chapeu do "Tio Sam" e umha capa coa bandeira espanhola abria o cortejo independentista. Três grandes retratos de Aznar, Bush e Blair coa legenda "assassinos", portados por militantes de NÓS-UP, também atingírom garnde sucesso entre @s manifestantes. Na praça do Obradoiro foi queimando o boneco de Aznar ante a expectaçom de milhares de pessoas que aplaudírom esta acçom.
"Bombardear ao Partido Popular", "O capitalismo é o terrorismo", "Ataque preventivo contra Estados Unidos", "Ilegalizar o Partido Popular", "Contra a guerra greve geral", "Iraque amigo, Galiza está contigo", "Nom mais sangue por petróleo", etc fôrom algumhas das palavras de ordem mais coreadas no bloco do MLNG.
A continuaçom apresentamos umha ampla reportagem fotográfica da manifestaçom.




Voltar à página principal